Alunos criam game educativo de Química

Um grupo de alunos, composto pelos alunos da 2.a série do Ensino Médio Cristóbal Sciutto, Fernando de Moraes, Gabriel Yshay, Guilherme Lacks, Isabela Baptista, Matheus Boger e Rafael Szair, participará da Feira de Ciências deste ano com um projeto de análise da eficácia dos games na sala de aula.

IMG_1664

Para isso, o grupo criou uma proposta de jogo relacionado a Química.  O projeto consiste em um jogo de RPG que instiga os alunos sobre conceitos básicos da disciplina. Eles acreditam que o conhecimento, quando aliado aos jogos, é “gravado mais facilmente e dificilmente esquecido”.

IMG_1684

A professora Vanderiza Rodrigues, que orientou o grupo junto da monitora Lígia Bozzi, afirma ser muito importante que o desejo de mudar os métodos do ensino surja dos próprios alunos.

IMG_1700

A impressora 3D auxiliou na produção dos personagens e ferramentas do jogo. Os estudantes dizem ter aprendido muito por meio de tutoriais e vídeos na internet. O aluno Matheus Boger acredita que os games são uma ótima forma para fixar alguns conhecimentos e afirma que muito do que aprendeu em Inglês, por exemplo, foi por meio de games.

Compartilhe:

Parceria com ONG conecta estudantes com EUA e Qatar

O Colégio Bandeirantes firmou uma parceria com a ONG americana GNG (Global Nomads Group). A missão desta ONG é incentivar discussões sobre diversos temas entre jovens do mundo todo, através de videoconferências, redes sociais e filmagens compartilhadas através da internet.

“O encontro com os demais professores participantes do projeto foi muito proveitoso pois agora temos conhecimento de quem está do outro lado da câmera. Imagino que o contato prévio que tivemos em Nova York será benéfico caso precisemos rediscutir estratégias ou até mediar conflitos durante as videoconferências.”, comenta o professor de Química, Franco Ramunno.

Dentre os diversos projetos organizados pela GNG, o Band participará do Connecting Cultures, Exploring Science: Path to Sustainable Energy (PaSE) que, em parceria com a Qatar International Foundation (QIF), procura explorar com os alunos como podemos construir um futuro sustentável tendo em vista as atuais necessidades de energia. O projeto conta com 12 alunos das 1.a e 2.a séries do Ensino Médio que participarão da Feira de Ciências.

Entre 10 e 14 de fevereiro de 2014, em Nova York, foram realizadas encontros dos professores participantes do Brasil, Qatar e Estados Unidos. Os encontros ocorreram na sede da empresa Polycom, parceira da ONG e focada no desenvolvimento de hardwares e softwares para videoconferências.

“Para os alunos será interessante porque o ocidental, de um modo geral, tem menos contato e ainda um pouco de preconceito com os países do Oriente. Eu acho que o contato com os alunos, ainda mais com o pessoal do Qatar, será uma oportunidade ímpar para todos.”, explicou Franco.

A aluna Rachel Oliveira, da 1.a série, diz estar muito animada sobre conversar com outros jovens de culturas diferentes, reforçando que foi exatamente este contato que despertou seu interesse em entrar no projeto PaSE. “De certo modo, me mostrou que o projeto também parte de valores como a união, o pensamento ao próximo, o “objetivo comum” de todos nós.”, completa Rachel. Além disso, ela acredita que isto seja uma grande oportunidade para conhecer outros modos de vida e também melhorar a convivência em grupo.

A etapa internacional do PaSE ocorrerá até final de maio e contará com a realização de quatro videoconferência entre as escolas que compõem o projeto, o que possibilitará que os estudantes troquem informações e experiências. A partir de junho, os esforços dos alunos se concentrarão em finalizar os projetos propostos para apresentação em outubro na Feira de Ciências do Band.

Da esquerda para direita: Kerry Fergason (professora americana que leciona Environmental Science (Ciências da Natureza) na Highland Park Independent School District), Franco Ramunno (professor brasileiro que leciona Química no Colégio Bandeirantes) e Maria Prasad (professora indiana que leciona no Qatar Independent School for Girls).

 

Compartilhe:

Feira de Ciências recebe mais de 1000 visitantes

Com mais de 300 alunos envolvidos no desenvolvimento dos projetos, 50 professores participando como mentores e avaliadores e mais de 1000 visitantes, que contabilizaram 6000 votos na avaliação, a Feira de Ciências do Band 2013 foi mais que um sucesso.

Projetos interessantes e criativos, dentro do tema de Inovações Tecnológicas, permitiram que os alunos expusessem com orgulho os projetos em que trabalharam duro o ano todo. A criatividade dos alunos superou as expectativas por irem muito além do solicitado, surpreendendo em qualidade, seriedade e comprometimento ao receber o público.

Além disso, os avaliadores parceiros, os professores orientadores e a organização como um todo merecem destaque pelo cuidado com cada detalhe do evento, o que colaborou para o grande sucesso da feira e de seus momentos inesquecíveis. “A Feira de Ciências é um projeto de grande porte que envolve várias áreas do conhecimento”, explica Marly Machado Campos, que ao lado dos professores Cristiana Mattos e Ricardo Almeida coordenou a Feira. “Além desses alunos tivemos três grupos de outros projetos: Sustentabilidade, Mecatrônica e Idade Mídia, atuando na feira com propostas relativas aos projetos que participam”, completou.

A Escola Politécnica da USP auxiliou vários grupos com seus projetos, principalmente nas etapas experimentais. “O próprio tema da Feira de Ciências deste ano (Inovações Tecnológicas e suas Aplicações) foi motivado por uma conversa entre os coordenadores da Feira e o professor Fernando Landgraf – professor da POLI e atual diretor-presidente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas”, lembra o Prof. Almeida.

Houve, em alguns grupos, comunicação com fontes internacionais, como foi o caso do professor Tarig Hassan da Tuskegee University, do Estados Unidos, e com o MIT. Em âmbito nacional, também constaram como colaboradores em alguns projetos a Comgás, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e o Instituto de Energia e Ambiente. Por fim, mas não menos importante, a maior novidade deste ano da Feira foi a votação por Ipad, o que possibilitou a tabulação dos dados instantaneamente. Dessa forma, foi possível preparar, pela primeira vez, a cerimônia de premiação no mesmo dia, ao final da Feira. “Foi bárbaro, pois pudemos comemorar junto com todos os alunos e suas famílias!”, comentou a Prof.a Cristiana Assumpção. O Analista de Sistemas do Colégio, Fábio Gondo, foi o responsável por preparar a ferramenta que tornou esta novidade possível na Feira este ano.

Para descobrir um pouco mais sobre a premiação, não deixe de conferir a matéria, elaborada por alunos do Idade Mídia, sobre os vencedores e seus projetos. Não perca também a oportunidade de checar as fotos do professor Waldir Hernandes, que além de orientar 2 grupos na Feira aproveitou para fazer o registro de alguns trabalhos utilizando-se do aplicativo Instagram.

Para isso, o professor pediu a cada grupo que elegesse um aspecto do trabalho que considerassem mais importante, sendo este fotografado e postado no aplicativo. “As imagens das áreas relacionadas às Ciências não precisam limitar-se a descrição de fenômenos ou de estruturas.

As imagens podem ter um caráter mais questionador ou interpretativo, sugerindo diferentes pontos de vista. Dessa forma, elas podem atuar como agentes de reflexão e mudança”, explicou.

Para conferir a galeria de imagens, clique aqui.

Compartilhe:

“O Passeio do Gás” é lançado no Band

Para celebrar o dia dos professores, o grupo Cátedra do Gás (que inclui a USP e a empresa Comgás, entre outros) veio ao Bandeirantes lançar a atividade “O Passeio do Gás”. Os professores Edmilson dos Santos e Murilo Fagá, ambos do Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE) da Universidade de São Paulo (USP), fizeram uma palestra para fomentar e difundir conhecimentos sobre os usos eficientes e as boas práticas do gás natural, que ainda sofre preconceitos sobre seu benefício.

Alunos do ensino médio tiveram a oportunidade de acompanhar a discussão. “Descobri aspectos e explicações sobre as quais eu nunca tinha pensado antes”, afirmou Caio Duarte, aluno do 2ª ano de Humanas.

“Os alunos mostraram vida o tempo todo, perguntaram e se envolveram com o que falamos. Cumprimos o objetivo de levar assuntos novos a eles, antes da universidade. É essa juventude que vai ter que lidar com os diferentes os recursos do país”, explicou o professor Edmilson, sobe a importância da palestra.

“Essa atividade faz parte de parcerias ousadas que enriquecem e estimulam o debate entre estudantes do Band, pois aborda uma questão atual do mundo”, finalizou o coordenador de Química, Ricardo Almeida, responsável pela parceria.

Confira a galeria de imagens clicando aqui.

Compartilhe: