Alunos vencem etapa nacional do F1 in Schools

Mesmo sem idade para dirigir um carro, os alunos do grupo Força Canindé, do Band, conquistaram o 1.o lugar do F1 in Schools, competição em que estudantes são desafiados a desenvolver uma miniatura de carro de Fórmula 1, em todos os seus aspectos. Com três equipes participantes, os alunos do Band preencheram, além do primeiro, o segundo (Booster) e terceiro lugar (Scuderia 907) empatado com a equipe Pegasus da FourC Academy. Este é o primeiro ano competição no Brasil, que reunirá na etapa internacional cerca de 40 países.

f1_2

O planejamento estratégico das escuderias iniciou-se em junho, que incluiu dividir as tarefas entre os membros do grupo. Cada membro foi responsável por um departamento como, por exemplo, de Engenharia, Marketing, Logística, Aerodinâmica, dentre outros. Em pouco tempo, todos os competidores foram avaliados por uma comissão técnica, analisando as diferentes funções dos departamentos. A corrida em si, não foi o único item avaliado.

f1_3

Para orientarem-se, os alunos contaram com a ajuda dos coordenadores Cristiana Mattos e José Ricardo de Almeida e do professor de Química Franco Ramunno, ajudando-os na parte da engenharia do projeto. Almeida ressaltou a importância da competição para a vida profissional e pessoal dos jovens. “Sem sombra de dúvida é uma experiência muito importante. É uma aprendizagem em que vivenciaram uma estrutura empreendedora”, contou. “É mais um passo de preparo para a vida adulta”, concluiu.

f1_4

O grupo “Força Canindé é composto pelos alunos: Cristina Liu, Cristobal Rodrigues, Gabriel Issao, Pedro Oliveira, Thomas Giordano, Victória Moribe, Francisco Tada e Rafael Kaminsk. Thomas contou que o nível de dificuldade foi maior que o esperado. “Na hora percebemos que não seria tão fácil, mas os problemas foram resolvidos”, relatou. “Foi uma superação”, acrescentou.

f1_1

Agora, eles se preparam para a etapa mundial, que acontecerá entre 16 e 19 de novembro em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. “Nossa meta é vencer as equipes de iniciantes”, contaram. O grupo reconhece a dificuldade de vencer, sendo a primeira equipe do Brasil a participar do torneio. Porém, seguem confiantes em mostrar o seu melhor.

Confira a carta de congratulações da F1 in Schools

Confia abaixo os vídeos da corrida e da premiação.

Compartilhe:

Professores no NSTA e MIT

Os coordenadores Cristiana Mattos (Ciências), Marly Machado (Laboratório de Física), José Ricardo de Almeida (Química), Márcia Abdo (Geografia) e o professor Waldir Hernandes (Biologia) participaram do Congresso NSTA (National Science Teachers Association), que, este ano, ocorreu em Boston, Estados Unidos. Para os professores, O NSTA, que é anual, serve de inspiração para a criação de novos projetos além do aperfeiçoamento da visão e da prática no ensino de Ciências.

O principal foco dos professores na escolha das palestras foi participar daquelas com assuntos relacionados ao tema da Feira de Ciências deste ano que é “Ciência e Empreendorismo”. Além disso, participaram de palestras da área de Engenharia porque o foco é próximo da questão do  empreendorismo.

A viagem, proporcionada pelo Band, contou também com uma visita ao consultor do Colégio Leo Burd, pesquisador do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). Na sede do Media Lab, os professores puderam visitar diversos projetos que tem como base o conceito de ‘Maker Space’ (Espaço de Criação). “É um lugar que fervilha a troca de cultura, que é a ideia central do conceito de ‘Maker Space’”, comentou a coordenadora Cristiana.

“Foi uma viagem estratégica devido ao grupo de coordenadores e professores que participou. Além da mudança cultural por conta da vivência, é possível ter uma noção do que envolve esta visão de espaços inovadores e também desta proposta do aluno praticar as tão faladas habilidades do século XXI”, explica.

Compartilhe:

Parceria com ONG conecta estudantes com EUA e Qatar

O Colégio Bandeirantes firmou uma parceria com a ONG americana GNG (Global Nomads Group). A missão desta ONG é incentivar discussões sobre diversos temas entre jovens do mundo todo, através de videoconferências, redes sociais e filmagens compartilhadas através da internet.

“O encontro com os demais professores participantes do projeto foi muito proveitoso pois agora temos conhecimento de quem está do outro lado da câmera. Imagino que o contato prévio que tivemos em Nova York será benéfico caso precisemos rediscutir estratégias ou até mediar conflitos durante as videoconferências.”, comenta o professor de Química, Franco Ramunno.

Dentre os diversos projetos organizados pela GNG, o Band participará do Connecting Cultures, Exploring Science: Path to Sustainable Energy (PaSE) que, em parceria com a Qatar International Foundation (QIF), procura explorar com os alunos como podemos construir um futuro sustentável tendo em vista as atuais necessidades de energia. O projeto conta com 12 alunos das 1.a e 2.a séries do Ensino Médio que participarão da Feira de Ciências.

Entre 10 e 14 de fevereiro de 2014, em Nova York, foram realizadas encontros dos professores participantes do Brasil, Qatar e Estados Unidos. Os encontros ocorreram na sede da empresa Polycom, parceira da ONG e focada no desenvolvimento de hardwares e softwares para videoconferências.

“Para os alunos será interessante porque o ocidental, de um modo geral, tem menos contato e ainda um pouco de preconceito com os países do Oriente. Eu acho que o contato com os alunos, ainda mais com o pessoal do Qatar, será uma oportunidade ímpar para todos.”, explicou Franco.

A aluna Rachel Oliveira, da 1.a série, diz estar muito animada sobre conversar com outros jovens de culturas diferentes, reforçando que foi exatamente este contato que despertou seu interesse em entrar no projeto PaSE. “De certo modo, me mostrou que o projeto também parte de valores como a união, o pensamento ao próximo, o “objetivo comum” de todos nós.”, completa Rachel. Além disso, ela acredita que isto seja uma grande oportunidade para conhecer outros modos de vida e também melhorar a convivência em grupo.

A etapa internacional do PaSE ocorrerá até final de maio e contará com a realização de quatro videoconferência entre as escolas que compõem o projeto, o que possibilitará que os estudantes troquem informações e experiências. A partir de junho, os esforços dos alunos se concentrarão em finalizar os projetos propostos para apresentação em outubro na Feira de Ciências do Band.

Da esquerda para direita: Kerry Fergason (professora americana que leciona Environmental Science (Ciências da Natureza) na Highland Park Independent School District), Franco Ramunno (professor brasileiro que leciona Química no Colégio Bandeirantes) e Maria Prasad (professora indiana que leciona no Qatar Independent School for Girls).

 

Compartilhe:

Professoras apresentam trabalhos da Feira de Ciências 2008 em Congresso Internacional

Três professoras (Ana Cristina, Beatriz e Denise), acompanhadas pela coordenadora Cristiana, viajam dia 17 de março para New Orleans, em Louisiana, Estados Unidos, para apresentar os resultados dos trabalhos dos alunos que participaram da Feira de Ciências e Tecnologia do ano passado. A aceitação foi muito grande, demonstrando que os trabalhos desenvolvidos aqui estão em nível internacional.

Além dos trabalhos da Feira de Ciências, também será apresentado o trabalho do Projeto Biotecnologia, já em seu 11o ano. A excelência deste trabalho chamou tanto a atenção dos organizadores do congresso, que ele foi colocado como palestra de 30 minutos em uma sala que comporta 175 pessoas, privilégio este reservado para temas que os organizadores sabem que geram muito interesse por parte do público.

O NSTA (National Science Teachers Association) é a maior organização de professores de ciências do Ensino Básico dos Estados Unidos, reunindo um público em torno de 35 mil professores em sua versão internacional. Este já é o segundo ano em que trabalhos do Bandeirantes são escolhidos para ser apresentados. Ano passado foram trabalhos sobre a Feira de Ciências e sobre os Kits de Ciências.

Compartilhe: