Seguidor Solar

Os alunos Felipe Dayoub, Giulia Campacci, Guilherme Ferreira, Ian Castro, Julio Obeid, Laura Guarnier, Mateus Martins e Pedro Miguel desenvolveram um painel solar que pode aproveitar cerca de 10% a mais da luz solar e produzir mais energia.

O projeto consiste numa série de sensores e motores que identificam a origem da luz e fazem o painel se virar para o lado onde a superfície dele ficará o mais próximo de 90° da luz solar. Isso permite que as células fotovoltaicas produzam mais energia, pois a quantidade de luz solar é maior.  De tal modo, há um aproveitamento imensamente maior da luz solar, permitindo que a gama energética brasileira seja ampliada e criando sistemas mais eficientes e sustentáveis.IMG_0741por Cássio Tales

 

Compartilhe:

Caixa d’água

Os alunos do Colégio Bandeirantes impressionam cada vez mais com sua criatividade em conjunto com a ciência. Um grupo de garotas do sexto ano, com a ajuda de um engenheiro eletrônico, montaram um sistema que mede a quantidade de água na caixa d’água e o fluxo com o qual ela sai, tendo como complemento a isso, elas programaram um aplicativo que controla o projeto e dá dicas para redução do consumo de água. As meninas têm planos de disponibilizar o aplicativo nas plataformas IOS e Android, e vender o kit para que qualquer um possa controlar sua caixa d’água.12168803_1050570781633924_1778259562_opor Sabrina Julia Vicente

 

Compartilhe:

Cooler Solar

IMG_0723Os alunos Bruno Goldstein, Julia Orsi, Carlos Cherto, Caroline Fujiwara, Gabriela Fanucchi, Nathalia Machado e Roberta Liberman, do segundo ano, fizeram uma integração entre um painel solar e placas de peltier, criando uma espécie de “geladeira sustentável”.

A ideia do grupo foi utilizar um painel solar para fornecer energia a algumas placas de peltier que, ao receber energia elétrica, a transformam em energia térmica, aquecendo de um lado e resfriando do outro. O calor gerado pelo peltier é dissipado por um cooler também movido por energia solar, posicionado no topo da geladeira. Assim, é possível economizar energia em residências com um projeto simples e eficiente.IMG_0722 por Cassio Tales

Compartilhe:

Foguete do ITA é novidade da Feira de Ciências 2015

Pela primeira vez o projeto ITA rocket design do ITA veio ao colégio para mostrar um foguete desenvolvido por eles. Com o apoio da FIESP, os alunos, além de trabalharem no foguete, também participam de competições. Estas julgam a altura que o foguete chega e outros quesitos que podem ser adicionados já que a parte inferior do foguete comporta apenas o motor e a parte superior, além de ser responsável pela aerodinâmica, também é o lugar onde há sensores, gps e outros aparelhos. Infelizmente, não haverá lançamento no Band mas todos podem ver o foguete exposto na quadra onde seus criadores o apresentam. Para quem gosta desse tipo de tecnologia o grupo possui a página itarocket no facebook onde são postadas novidades.image IMG_0715Por Beatriz Langella

Compartilhe:

Grupo descobre maneira de gerar energia a partir de barulho em grandes avenidas

O grupo formado por Angelica Marucci da 9B e Daniel Fermann, Frederico Fausto, Gabriel Souza, Guilherme Zeigler, Isabela Caramicia e Laura Salzedas da 9A fez uma demonstração de como um alto-falante poderia usar as ondas sonoras emitidas por um outro auto falante para gerar energia. Eles, porém, mostraram que apenas uma fração da energia é reutilizada, disso surgiu a ideia de usar este sistema em grandes avenidas utilizando a poluição sonora para a produção de energia.

Esse grupo, assim como muitos outros, está localizado nas salas do bloco D e vale a pena conferir!

por Rafael Morandini

Compartilhe:

Os caminhos para a Feira

A feira de ciências é um evento que acontece todos os anos no mês de outubro e tem duração de aproximadamente seis meses. Isso mesmo, seis meses! O dia da feira é apenas a ponta do iceberg de um trabalho que começa no início do ano.

Você já parou para pensar em como foi o processo de criação e desenvolvimento dos projetos? Ou o que foi feito nas aproximadamente duas horas semanais (no mínimo) em que os alunos e professores se reuniram?

A maioria das pessoas não sabe que todos os grupos possuem um “diário” no qual estão documentados os trabalhos de cada encontro e que este “caderno de bordo” esta à disposição de todos os visitantes, normalmente esquecido no canto da bancada.

Portanto se você tiver curiosidade de conhecer todo o processo por trás de um trabalho, de uma folheada nos cadernos abandonados nos cantos das mesas.

IMG_0717

por Caio Meneses Stabel

Compartilhe:

Feira de Ciências chega na metade: confira o que já aconteceu

A Feira de Ciências 2015 está chegando na metade. Muitas pessoas já passaram pelo evento e muitas ainda chegarão. Dentre os que já foram à feira estão os jurados responsáveis pela avaliação dos grupos. Logo cedo, pouco antes da feira ser aberta ao público, os avaliadores visitaram os grupos a que foram designados para assistir sua apresentação e discutir sobre o principal (porém menos conhecido pelo público) meio de avaliação dos trabalhos: o relatório.

O relatório feito pelos alunos é dividido em: resumo, resumo em inglês, introdução (apresenta o problema a ser resolvido), objetivo (explicado de forma direta), justificativa (motivos pelos quais se acredita que a experiência solucionará o problema), material e métodos (explicação da experiência realizada) e resultados e discussão (apresentação e análise dos dados obtidos). Resumindo, o relatório é uma explicação completa de todo o trabalho. Seu tamanho varia de aproximadamente 20 páginas até mais de 50 e eles são enviados aos jurados uma semana antes da feira. Se você quiser ter uma ideia de como é um relatório, acima das bancadas de todos os grupos há um cartaz com um resumo.

por Caio Meneses Stabel

Compartilhe:

Prefeito Haddad visita a Feira de Ciências

12169086_1050533888304280_2133805291_oNa feira de ciências desse ano, novamente tivemos a presença do nosso ilustre prefeito Fernando Haddad. O colégio já é quase tradição em sua família, Haddad estudou aqui durante todo o Ensino Médio e acabou por escolher o Bandeirantes como a escola de seus filhos, sendo que sua filha mais nova está apresentando seu projeto hoje. “Os meninos vieram para cá muito mais por influência minha do que pela minha esposa, mas quando ela conheceu a escola, adorou o sistema” O pai de aluna visitou vários estandes, posou para fotos com alunos e foi entrevistado pela equipe de alunos interessados em mídia e comunicação.

por Isadora Fernandes e Sabrina Julia Vicente

Compartilhe:

O futuro começa aqui

A feira de ciências abriu para o público, e eu aproveitei a chance para entrevistar alguns visitantes para saber suas impressões. O aluno do 1º ano Gabriel Paganini falou que muitos projetos podem ter grande uso no mundo afora, uma outra aluna diz pensar que vários projetos não se limitaram à feira e têm grande aplicabilidade.

A votação para o júri popular está aberta, então não perca a chance de votar em seu projeto favorito.

por Rafael Morandini

Compartilhe:

Semeando no deserto: um protótipo viável para o plantio em regiões áridas

O projeto dos alunos do segundo ano do Ensino Médio baseado em um projeto que está sendo desenvolvido na Holanda pelo MIT consiste em tornar viável a plantação em áreas desertificadas. O grupo orientado pelo professor Pedro Leão começou buscando projetos baseados em seu interesse por genética quando descobriram o projeto que o MIT estava desenvolvendo e decidiram seguir o exemplo criando algo que revertesse o processo de desertificação. De seus oito membros, seis já participaram de Feiras anteriores e continuam animados para trabalhar em novos projetos. O grupo espera fazer muito sucesso na Feira deste ano.IMG_0654 IMG_0655 IMG_0653

por Bianca Rickheim

Compartilhe: