Tabela periódica digital: Arte e Ciências

Produzida tradicionalmente pelos alunos do 9.o ano do Ensino Fundamental, a tabela periódica artística desse ano ganhou, além do já conhecido mural na entrada do Colégio, uma versão digital. Criada para o curso de Ciências, a tabela conta com desenhos e poemas inspirados em cada elemento químico.

tabela_periodica_2017

Com a tabela disponível na internet, é possível enxergar de pertinho todos os desenhos e também conferir os poemas que, antes, não eram expostos para a leitura. Estabelecendo relações entre arte, poesia e Ciências, agora todos os alunos podem ter um acesso prático à essa divertida forma de enxergar a tabela periódica. “Com o site pude ter mais contato com alguns elementos que eu não conhecia além de poder ver todos os poemas produzidos”, contou a aluna Maria Luiza Lima.

Participaram do projeto os professores Renato Villar, de Física e STEAM, Elisabeth Pontes, de Química, Gabriel Steinicke, de Física e a Coordenadora de STEAM, Cristiana Mattos.

Como em todos os anos, os 118 elementos presentes na tabela foram divididos entre as turmas para que cada uma os estudasse detalhadamente. A partir das informações coletadas, foram criados o desenho e o poema. “Para a atividade, eles se apropriaram totalmente dos conceitos, propriedades e aplicações de cada elemento. Sem isso não seria possível fazer um desenho e um poema que dialogassem com cada átomo”, comentou o professor Renato Villar.

Confira a tabela aqui.

Compartilhe:

Reflexão e aprendizado em visita ao Eataly e Edifício Malzoni

Os alunos do 7.o ano do Ensino Fundamental puderam refletir sobre consumo e a produção de alimentos em visita ao mercado e restaurante Eataly, e ao Edifício Pátio Victor Malzoni. Eles foram acompanhados por Catarine Nunes, do Departamento Cultural, e pelas professoras de Ciências Lívia Dorice, Jéssica Dias, Carolina Oreb e Mariana Lorenzin.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.27.39 (1)

Na primeira parte da visita, os alunos foram ao Eataly para aprender mais sobre a produção de alimentos. Lá, os alunos conheceram a padaria que abastece o mercado e os restaurantes, onde puderam produzir seus próprios pães e também aprender, na prática, o funcionamento de processos,] como o da fermentação, que já haviam sido estudados na escola.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.27.48

“É muito bom para o aluno poder acompanhar como alguns dos conteúdos da sala de aula se aplicam no dia-a- dia”, disse a Professora Lívia Dorice.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.28.16

Depois o grupo seguiu para o Edifício Pátio Victor Malzoni que, por adotar uma filosofia sustentável, possui um espaço destinado a reciclagem, compostagem e tratamento de água.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.28.05

Assim, os alunos tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o que ocorre com os alimentos que vão para o lixo. “Houve uma reflexão sobre a forma como consumimos, o que ocorre com o que descartamos e como podemos reutilizar algo que parecia inútil”, explicou Lívia.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.28.21

“Achei muito legal a visita porque, no Eataly, vi vários produtos que não sabia nem que existiam e aprendemos sobre a fermentação. Vai ajudar bastante na hora de estudar pra prova e para a vida”, disse o aluno do 7.o ano Matteo Moreira.

Compartilhe:

Alunos manuseiam animais e aprendem sobre preservação

Com o objetivo de conscientizar os alunos da importância de preservar todas as espécies de animais e proporcionar uma experiência única através do manuseio de animais silvestres, o Bandeirantes ofereceu aos alunos do 7o ano o projeto Herpetus.img_1086

O curso ministrado pelos biólogos Sandra Sakamoto e Thiago Angeli contou com a presença de cerca de 150 alunos, muitos acompanhados de seus pais. “ Na minha concepção, o mais importante desta vivência prática é o contato dos estudantes com a vasta biodiversidade do reino animal. ”, comentou a professora de Ciências, Carolina Oreb.

img_1135

“Os discentes se entusiasmaram muito com a possibilidade de, durante este fechamento, manejar animais nunca antes vistos, como a coruja. As perguntas feitas por eles foram extremamente interessantes e enriqueceram muito o desenrolar do curso. ”, pontuou Lívia Dorice, educadora do 7o ano.

img_1253

“O Herpetus foi uma oportunidade de os alunos deixarem o medo de lado e, consequentemente, começarem a confiar mais em si. Além disso, com certeza aprenderam a respeitar mais os animais silvestres e aprenderam muito sobre a importância destes animais nos ecossistemas. ”, finalizou a professora Maria Lúcia Gukovas.

Confira a galeria de imagens clicando aqui.

Compartilhe:

Experiência de aprendizado e diversão no iFly

Cerca de cento e quarenta alunos do sexto ano usufruíram de uma manhã repleta de aprendizado no iFly, um simulador de paraquedismo indoor. Tanto as professoras Mariana Lorenzin, Carolina Oreb e Jéssica Morais, quanto os estagiários, Gabriel Borgheti, Henrique Andrade e Lívia Dorice, se fizeram presentes na ocasião.

img_0974

“Durante todo quarto bimestre, os alunos estudaram as propriedades do ar. Eles se entusiasmaram muito com a possibilidade de colocar em prática, de uma forma extremamente lúdica, os conceitos abordados ”, comentou a professora, Mariana Lorenzin.

img_0306

ifly002Antes de vivenciarem a experiência de voar, todos os presentes foram introduzidos aos mecanismos de funcionamento do túnel que era utilizado para o voo. Além disso, ainda na parte introdutória da visita, relembraram alguns dos princípios indispensáveis para a flutuação.

Em seguida, os participantes realizaram um exercício laboratorial. A partir da montagem de um paraquedas, a atividade consistia na elaboração de hipóteses, variação de experimentos e analise de dados.

 

ifly001

Por fim, a parte prática encantou a todos. “Ambos os voos feitos foram uma aprendizagem contextualizada, pois é de extrema importância que os alunos entendam a aplicação dos conceitos estudados em sala de aula”, pontuou a professora.

ifly003

“Foi possível notar a satisfação de todos que lá estavam, pois puderam experienciar uma situação diretamente relacionada com a realidade que estão inseridos. Ademais, a visita ao iFly trouxe o tema tratado no bimestre a um entendimento mais tátil ”, finalizou Carolina Oreb.

Compartilhe:

Alunos são premiados na FEBRACE

As duas equipes que representaram o Bandeirantes na FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia) foram premiadas. Os projetos tiveram propostas tanto para a crise hídrica de São Paulo, quanto para o auxílio de deficientes visuais no reconhecimento de cores.

febrace14_1

Intitulado de “Estudo do concreto produzido com água de reuso de São Paulo: uma alternativa para a economia de água na construção civil”, o trabalho dos alunos Catarina Vallada, Enzo Profili e Guilherme Peres,da 3.a série, conquistou 3.o lugar na categoria Engenharia.

febrace14_2

A equipe foi orientada pelo professor de Geografia do Colégio, Pedro Coelho, e coorientada por Arthur Rupp, do Instituto Mauá de Tecnologia. O objetivo do projeto foi buscar uma solução sustentável para a crise hídrica dentro da Engenharia. A pesquisa foi realizada no ano passado para a Feira de Ciências do Band, na qual eles foram os 1.os colocados pelo júri técnico.

Para Guilherme, a interdisciplinaridade entre Ciências e Geografia- pela contextualização com a crise hídrica- e o caráter inovador da pesquisa foram fatores fundamentais para conquistar o lugar de destaque. “Acho que o fato de ter tido um alto embasamento científico foi essencial. Todos os nossos resultados foram justificados pelas nossas pesquisas, que seguiram uma rigorosa metodologia”, completou Enzo.

Já o projeto dos alunos Lucas Liberman, Pedro Takahaski e Rodrigo Koozo, orientado pelo professor de Física, Renato Villar e coorientado por Carlos Rafael Gimenes, da BandTec, ganhou o prêmio de Inovação em Acessibilidade e Inclusão da Pessoa com Deficiência.

A pesquisa realizada por eles foi intitulada de “Cromatoscopiofone: protótipo em Arduino para identificação de cores para deficiências visuais” e tinha como propósito auxiliar deficientes visuais no reconhecimento de cores através da emissão de sons a partir de cada espectro de cor.

Compartilhe:

Band na FEBRACE

Este ano o Band será representado por 2 grupos de alunos na FEBRACE – Feira Brasileira de Ciências e Engenharia. O evento acontece todos os anos na Faculdade Politécnica da USP e tem como objetivo estimular novas vocações em estudantes através do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores.

evknqhiD

Em 2015, 341 projetos foram selecionados como finalistas entre um grupo de mais de 2,2 mil trabalhos, submetidos diretamente pelos estudantes ou por meio das 125 escolas afiliadas. Estes escolhidos, além de apresentarem os trabalhos para um juri técnico formado para os professores da USP e alunos de pós graduação, ainda participam da votação popular. O grupo que conseguir a maior quantidade de votos na internet recebe uma premiação especial.

Dentre os selecionados para representar o Band na FEBRACE deste ano está o projeto “Cromatoscopiofone: protótipo em Arduino para identificação de cores para deficientes visuais”, desenvolvido pelos alunos Rodrigo Koozo Sakano Kamimura, Lucas Liberman Fernandes, Pedro Takahaski Fernandes, sob orientação dos professores Renato Pacheco Villar e Carlos Rafael Gimenes das Neves.

756

Também faz parte do grupo de escolhidos como finalistas, o trabalho intitulado de “Estudo do concreto produzido com água de reúso de São Paulo: uma alternativa para a economia de água na construção civil”, projetado pelos estudantes, Catarina Maria Ferreira Alves Mattos Sarmento Vallada, Guilherme Menichelli Peres, Enzo Bastos Profili e orientado pelos professores Pedro Paulo Teixeira Coelho, Arthur Henrique Coppola Rupp.

Para saber mais sobre os trabalhos e ajudá-los na votação do júri popular, basta entrar no link dos projetos (aqui e aqui) e curtir via Facebook!

Compartilhe:

Feira de Ciências e Tecnologia 2016 – Inscrições

Estão abertas as inscrições para a X Feira de Ciências e Tecnologia do Colégio Bandeirantes. Este ano o tema da Feira é “Empreendedorismo Social: Um Mundo Novo a Construir!“. Poderão se inscrever para este projeto apenas alunos do Segundo ano do Ensino Médio.

IMG_0784Confira os melhores momentos da Feira de Ciências 2015 aqui.

Para participar, os alunos devem se organizar em grupos de 4 a 6 integrantes, escolher um para ser o líder do grupo (que será o nosso contato com o grupo) e preencher a Ficha de Inscrição.

O grupos que se inscreverem devem, impreterivelmente, comparecer na sala A35 às 9h30min no dia 4 de março. As reuniões com os professores orientadores serão iniciadas na semana do dia 7 de março e ocorrerão semanalmente em horário escolhido pelos grupos no momento da inscrição. (Lembre-se de escolher o horário das reuniões semanais do grupo no link ao final da ficha de inscrição!)

Esse ano, também será realizado o Curso de Criação e Desenvolvimento de Apps Web, que tem como objetivo criar, utilizando o Visual Studio, um app Web para desktop e para mobile, em C# e JavaScript.

O curso será oferecido para 25 alunos do Segundo ano do Ensino Médio, às terças-feiras das 14h40min às 17h40min.

No final do ano, os alunos participantes do curso, apresentarão o trabalho desenvolvido por eles na Feira de Ciências. Os interessados devem se inscrever aqui.

Lembramos que os alunos que se inscrevem para o Curso de Criação e Desenvolvimento de Apps Web não poderão se inscrever para outros grupos da Feira de Ciências!

Compartilhe:

Química com Arte

Na última semana, a recepção do Colégio foi contemplada por uma tabela periódica artística produzida pelos alunos do 9.o ano. A instalação faz parte de uma atividade promovida pela equipe de Ciências composta pelos professores Elizabeth Pontes, Marta Rabello, Renato Villar e Wanderiza Lucas.

Professores Renato, Wa

Professores Renato Villar, Wanderiza Lucas, Elizabeth Pontes e Marta Rabello

Divididos em grupos, os estudantes tiveram a tarefa de representar um elemento da tabela em uma das formas de como ele é encontrado em nosso cotidiano. Por exemplo, o elemento carbono foi representado por um diamante. Cada sala ficou responsável por cerca de 15 elementos, separados pelos grupos da tabela. “Além de pesquisar sobre os componentes, eles também desenvolvem a habilidade de representar o que eles acham mais relevante”, declarou Renato Villar.

tabela_periodica_1

A inspiração para a atividade veio da criação do artista S. Kate Hutchison, chamada “The PeriodicTable Printmaking Project”. A obra reuniu diversos artistas para criar uma tabela periódica com uma representação diferente de cada elemento. Na versão bandeirantina, os alunos eram livres para utilizar a criatividade e representar o elemento da forma que queriam.

tabela_periodica_3

Além das telas pintadas, os alunos também escreveram poesias baseadas em cada elemento, desde os mais conhecidos, como o sódio até o zircôncio. A ideia é publicá-los em forma de ebook até o final do ano. “Foi interessante porque muitos dos textos falam das propriedades dos elementos, que faz parte do conteúdo trabalhado em sala de aula”, finalizou Renato.

Compartilhe:

OFICINA DE ENSINO DE FÍSICA – UNICAMP 2013

oficina31

Delicioso sábado ensolarado, Campinas muito simpática e a UNICAMP bastante  acolhedora!

Estas foram as primeiras impressões dos professores de Física do Band, chegando, bem cedinho, para participar da 31ª Oficina de Ensino de Física “Cesar Lattes” no dia 25/05/2013. Desta vez, os animados participantes foram os professores Alexandre Magno, Anna Cecília Copelli, Mara Polakiewicz, Renato Villar, Nelson Rabello, Borella e Marta Rabello.

O programa do evento contemplou temas variados: a estrutura do curso de Física da UNICAMP, inclusive com detalhamento a respeito do novo curso de Engenharia Física ( Prof. Jun Takahashi IFGW-UNICAMP), a evolução de estilo e exigências nacionais para o livro didático de Física no Ensino Médio em geral ( Prof. Jorge Megid FE-UNICAMP), a maravilhosa experiência do genial professor Moisés Nussenzveig(IF/UFRJ)  no projeto “ Aventuras na Ciência” com os kits populares de ciência experimental e também, a aplicação de estratégias especiais para ensinar  Física para crianças pequenas (Prof. Fernando Paixão IFGW-UNICAMP).

Em especial o trabalho do grupo do professor Nussenzveig no projeto dos kits destacou-se pela grande abrangência: desejo de atingir adolescentes do país todo, independentemente da escola, permitindo que se sintam maravilhados pela vivência científica, praticamente brincando! (http://www.aventurasnaciencia.com.br/o-projeto-dos-kits-aventuras-na-ciencia)

De qualquer forma  a oportunidade de ouvir, discutir e conhecer novas possibilidades faz sempre muito bem!

Compartilhe:

SUSTENTABILIDADE E SOLIDARIEDADE

O Projeto Educação para a Sustentabilidade acredita que sustentabilidade tem tudo a ver com solidariedade.

Dessa forma, a equipe tem colaborado com a coleta de lacres metálicos para a Ong Vidas – liderada pela professora Patrícia Goloni -, os quais são trocados por cadeiras de rodas.

A iniciativa contou com a ajuda da professora de Artes, Paula Moraes, na criação de verdadeiras “obras de arte” de arame, as quais foram presas nas muitas lixeiras de metal espalhadas pela escola.
Alunos do Fundamental e Médio, então, fizeram sua parte, colocando os lacres das latinhas presos aos arames, tornando a obra, além de bonita, interativa.


Após uma semana de campanha, a Equipe do Educação para a Sustentabilidade retirou e contabilizou os lacres.
Foram mais de 850, graças à participação de todos.

Esse número também nos deu a dimensão da grande quantidade de latinhas que são consumidas por semana no colégio.

Agora, é partir para uma campanha que estimule os alunos a descartar esse material na lixeira correta.

Obrigado a todos pelo apoio a essa campanha.

Compartilhe: