Uma feira de descobertas!

Por Tiago J. B. Eugênio

Qual é o efeito do magnetismo sobre o crescimento das plantas? Como transformar sacolas de supermercado em papel? Quais riscos podem ser associados ao uso do Wi-FI? De que forma ocorreu a evolução da tecnologia cinematográfica? Que utilidades podem ter um plástico que muda de cor? Essas são perguntas que estudantes do Colégio Bandeirantes fizeram no início do ano e, durante os últimos meses, se propuseram a responder.           

No dia 19 de outubro (sábado), a partir das 13h00, o Colégio Bandeirantes abrirá suas portas para compartilhar essas e muitas outras respostas.  Afinal, serão mais de 50 trabalhos expostos, produzidos por grupos de alunos do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Mais do que conhecer respostas o visitante poderá experimentar, de fato, na feira! Que tal produzir energia esfregando cristais em uma caixa escura? Nunca lhe passou pela cabeça experimentar um voo de Boeing em um simulador? E se você pudesse controlar um carro movido à energia solar? As possibilidades de experimentação prometem ser tão diversificadas que não ficaremos surpresos se alguém imaginar que não está em uma feira, mas sim em um parque de diversões (científico).

A produção de conhecimento para além das salas de aula é um dos objetivos da Feira de Ciências do colégio, além de revelar talentos e gerar inovações. E, nesse último quesito, não temos dúvidas que os alunos foram além do esperado. Imagine utilizar os ventos gerados pelo deslocamento dos metrôs de São Paulo para produzir energia elétrica; e se tivéssemos a nossa disposição um refrigerador que não utilizasse energia elétrica, mas sim a energia solar? Que tal um capacete elétrico para reabilitação neurológica?  E se fosse possível construir uma usina hidroelétrica submersa, que produzisse energia elétrica por meio da força das ondas do mar. Na verdade, essas foram perguntas feitas por alguns grupos, as quais lhes conduziram ao caminho da descoberta científica.

A caminhada consistiu em aplicar as etapas básicas do método científico nos projetos: observar, identificar um problema, formular hipóteses, montar experimentos, analisar resultados e elaborar uma conclusão. Nesta empreitada, o aluno antecipa sua vida acadêmica, aprendendo a relatar as discussões em um diário de bordo e elaborar um relatório científico. Além disso, compreende como funciona o processo de descoberta. Afinal, o aluno precisa compreender que o mérito de cientista necessariamente não está ligado exclusivamente a sua intelectualidade, mas também à sua dedicação, perseverança, criatividade e entusiasmo pelo que faz.

Tem muita coisa para contar, mas acho melhor parar por aqui! O processo de descoberta desses alunos continuará com a socialização dos saberes no dia feira. Assim sendo, o Colégio Bandeirantes convida a todos para conhecer os projetos e aprender com nossos alunos!

Compartilhe:

Treinamento de Primeiros Socorros – 8os. anos e CP1

Alunos treinando carregar paciente em maca.

Como parte da proposta da disciplina de Ciências nos 8os. anos e CP1 que tem como objetivo conhecer o próprio corpo para o exercício do autocuidado e, considerando o elevado número de mortes ou sequelas que ocorrem no mundo pela ausência ou ocorrência de erros e demora no atendimento pré hospitalar, após três bimestres estudando os sistemas do corpo, os alunos dos 8os. anos e CP1 participaram, no 4º. Bimestre, de uma série de treinamento em Primeiros Socorros.

Acompanhados por seus professores de Ciências, Lúcia, Mariana e Waldir, os alunos receberam material didático específico e assistiram a uma palestra inicial, ministrada pela equipe do COEPEM (Centro Ortopratika de Ensino e Pesquisa em Emergências Médicas) sobre os principais acidentes que ocorrem no Brasil, como poderiam ser evitados e como proceder no primeiro atendimento.

Nos treinamentos práticos os alunos receberam kit de Primeiros Socorros e aprenderam as técnicas de imobilização e transporte da vítima de traumas, além da prática da Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) em caso de parada cardíaca, com uso do Desfibrilador Externo Automático (DEA).

Treinando primeiros socorros.

Os alunos aprovados no curso teórico e prático receberam a carteirinha de Socorrista Mirim, certificado pela American Heart Association, com validade de 02 anos.

Fazendo massagem cardíaca no boneco.

 

 

 

É importante lembrar que, quando corretamente executados, procedimentos simples são capazes de salvar vidas e auxiliar nos cuidados com a vítima.

Esperamos que os conhecimentos sobre os Primeiros Socorros possam ajudar na manutenção dos Elos da Sobrevivência!

Compartilhe:

Premiação da Feira de Ciências 2012

Após praticamente um ano inteiro de planejamento, trabalho e esforço, alunos dos quatro anos do Ensino Fundamental e dos 2.os anos do Ensino Médio expuseram seus trabalhos na Feira de Ciências 2012.

“Acho que um dos pontos mais importantes da Feira de Ciências é o fato de não valer nota, os alunos fazem os projetos porque estão envolvidos. E os grupos de orientadores são fantásticos, ajudam bastante os alunos, acabam se envolvendo e colaboram para montar os projetos”, disse a coordenadora do Laboratório de Física, Marly Campos.

No dia 01 de novembro, os alunos participaram da cerimônia de premiação e entrega de certificados, realizada no anfiteatro do Colégio. A expectativa era muito grande e todos estavam ansiosos para saber os resultados dos júris popular e científico.

“A Feira influenciou a minha vida como estudante por ter me proporcionado um aprendizado que, talvez, não conseguiria ter em uma sala de aula. É a experiência de ter que escolher um objetivo, e junto com seu grupo, correr atrás do que você pretende alcançar”, disse Catharina Moreira, a integrante do grupo vencedor do ensino médio, pelo júri técnico.

“Foi uma oportunidade magnífica de nos aproximarmos da realidade, da aplicação prática dos conhecimentos adquiridos e, principalmente, de começar a aprender a lidar com os problemas e limitações nela envolvidos, para ter uma noção real do que é ser um engenheiro”, completou a colega de equipe, Cassia Oliveira.

Este ano, mais de 250 alunos lotaram o auditório para a premiação. A revelação foi feita em duas sessões. No intervalo da manhã, o Ensino Médio recebeu seus prêmios depois de assistir ao teaser do vídeo da Feira deste ano. Durante a entrega das medalhas, foi mostrado o vídeo completo. Clique aqui para assistir.

Das 10h30 às 11h30 os alunos do Ensino Fundamental também tiveram a sua cerimônia. Os resultados foram:

Ensino Médio:

Vencedores do Voto Popular

1º. Desenvolvimento e construção de fogões de biomassa eficientes e de baixo custo
2º. Inovação no ensino de química: construção de modelos moleculares utilizando garrafas PET
3º. Aproveitamento de energia cinética em bicicletas de spinning por indução eletromagnética

Vencedores do Júri Científico

1º. Aproveitamento de calor dissipado em Data Centers para geração de eletricidade por
efeito Seebeck
2º. Energia Termoelétrica Solar
3º. Gaseificação do Lixo por Pirólise e
3º. Inovação no Ensino da Química: Construção de modelos moleculares utilizando Garrafas
PET

Ensino Fundamental:

Vencedores do Voto Popular

6º ano
1º. Histórico e Técnicas de despoluição do Rio Tietê.
2º. O uso da energia solar nas residências.
3º. Lixo, um tesouro abandonado.

7º ano
1º. Tempos Modernos: tecnologia na cidade.
2º. Eco-casa.
3º. Dessalinização por osmose reversa.

8º ano
1º. Despoluindo a água através da eletrofloculação.
2º. Solo: Fonte de Energia?
3º. Sacolas: qual a

Third beforehand pretty straight layer – viagra side effects real from return Naturals EDPs mix tripped…

melhor opção?

9º ano
1º. O que é que a banana tem?
2º. Reuso e eletricidade: duas opções de aproveitamento da água da chuva.
3º. O uso do dínamo para a geração de energia.

Voto do Júri Científico

6º ano – Histórico e Técnicas de Despoluição do Rio Tietê
7º ano – Tempos Modernos: Tecnologia nas Cidades
8º ano – A Cozinha Ecológica
9º ano – O que é que a banana tem?

Para conferir a galeria de imagens, clique aqui.

Parabéns a todos que fizeram deste evento um grande sucesso!

Compartilhe:

Lançamento da Revista de Divulgação Científica do EFII: e-Band

Para comemorar o fechamento do ciclo de iniciação científica do Ensino Fundamental II que teve início no 6o ano em 2009 e este ano atingiu o 9o ano, os alunos escreveram artigos de divulgação científica com linguagem jornalística para falar de suas pesquisas. Muitos destes trabalhos puderam ser visitados no dia da Feira de Ciências e Tecnologia.

Os artigos passaram pela aprovação de um comitê de avaliação (peer-review), composto por professores de ciências, e os melhores trabalhos foram selecionados para publicação.

O resultado pode ser visualizado em PDF neste link (https://www.dropbox.com/s/1bs4l9kh1oh9p4r/e-Band.pdf), e está disponível para download pelo iBook Store da Apple com o nome eBand (para quem tiver iPad). A versão iBook tem galeria de fotos e vídeos.

 

Compartilhe:

BandForense: CSI nos 9os anos!

Investigador registrando a cena do crime.

Você sabia que o estudo do padrão no qual o sangue  se espalha no momento do crime revela muitas informações sobre como esse  crime aconteceu? Por mais desagradável que seja lidar com isso, quando um crime resulta em sangue derramado, é ele que funciona como uma das  evidências para os investigadores.

Você sabe qual é o seu tipo de digital? A identificação de impressões digitais,  também conhecida como dactiloscopia,  é o processo de comparar impressões digitais recolhidas na cena do crime com as de um suspeito para determinar se são do mesmo dedo.

Você sabe como abordar uma cena de crime e quais evidências coletar? O objetivo da fase de coleta de provas é encontrar, reunir e preservar todas as evidências físicas úteis para reconstituir o crime e identificar o criminoso, fazendo com que ele seja levado ao tribunal.

Se você gosta de Ciências e de seriados como CSI, Law and Order, Criminal Minds e até mesmo de filmes de mistério como Zodíaco e outros , como os do famoso diretor Hitchcock, então você deve conhecer a turma do BandForense.

O BandForense é um projeto anual do Colégio Bandeirantes e dele participam os  alunos selecionados dos 9os. anos orientados pelas professoras do Departamento de Ciências : Cristiana, Lúcia, Thaís e Marta.

Este projeto aborda conhecimentos das Ciências Forenses e acontece  com muitas atividades práticas, como a reconstrução da cena do crime, a coleta de evidências,  as análises das provas coletadas e as posteriores conclusões para elucidar cada caso proposto de investigação.

As atividades práticas desenvolvidas abordam os conteúdos das ciências em geral, passando por áreas da Biologia, Física, Química, Matemática, entre outras.  Nas fotos publicadas você terá uma ideia geral de algumas atividades realizadas pelos próprios alunos  como por exemplo, tipagem sanguínea, estudo da pele, densidade, refração, trigonometria, etc.

As atividades ocorrem às quartas-feiras no período da manhã.

 

O BandForence foi iniciado em março deste ano com 20 alunos selecionados, que iniciaram o Projeto  como IT´s (Investigadores Trainees).

Após capacitações teóricas e práticas, avaliações e soluções de casos criminais propostos, os alunos investigadores IT´s passaram para a categoria seguinte de investigadores IJ´s (Investigadores Juniores).

No segundo semestre, nossos investigadores  IT´s  já preparados para resolver casos mais complicados, continuarão evoluindo e contarão com mais um apoio importante: o perito forense Julio de Carvalho Ponce do IC (Instituto de Criminalística do Estado de São Paulo),  especialista na área de análise de fármacos, que apresentará a carreira forense no Brasil, relatando casos  famosos e atividades práticas para o grupo todo.

Em 2013 teremos novos candidatos a investigadores!!!

Você será um deles???? Pense nisso.

 

Compartilhe:

Google lança Feira de Ciências Virtual

Para estimular novos cientistas, o Google está procurando os jovens cientistas de 13 a 18 anos mais brilhantes do mundo para concorrerem neste primeiro concurso científico virtual. O site do evento com todas as informações é Google Global Science Fair 2011.

Não fique fora dessa! Participe! Atenção – o prazo para entrega do projeto é 4 de abril de 2011.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Z7oJfK4E7RY]

Compartilhe:

Palestras da Feira de Ciências e Tecnologia

Como ocorre em Congressos Científicos, em paralelo à exposição dos alunos na Feira de Ciências, teremos convidados especiais ministrando palestras nas salas adjacentes à Quadra.

É uma ótima oportunidade de ver pesquisadores de ponta explicando sobre seus trabalhos na área de pesquisa dos nossos alunos.

Anote e participe!

Local : Sala D4

Horário: 14h às 14h30

Tema : Dessalinização da água do mar para consumo humano

Dr. Annibale Longhi

Diretor Presidente Mar Báltico e AquaMare

Horário: 15h às 15h30

Tema: A Biotecnologia aplicada ao tratamento da água

Omar Grecco

Diretor de Tecnologia e Novos Negócios da SuperBac.

Compartilhe:

Programa da IV Feira de Ciências e Tecnologia – Tema: Água – Ciência e Tecnologia

Apresentação

 

Água: Ciências e Tecnologia é o tema da Feira de Ciências e Tecnologia do Colégio Bandeirantes, realizada por alunos da 2.a série do Ensino Médio e do 6.o e 7.o anos do Ensino Fundamental.

A poluição, o consumo inconsequente, as parcas alternativas sustentáveis para a geração de energia, as secas, enchentes e os ciclones constituem alguns dos mais graves problemas socioeconômicos que enfrentamos, a cada ano, de maneira mais agressiva.

A educação para o consumo consciente e responsável da água é uma necessidade urgente, atual e imprescindível para as gerações futuras. Aliado ao conhecimento, a tecnologia permite obter controle, rendimento e qualidade desse recurso natural. Tal associação serviu de base para o desenvolvimento dos trabalhos realizados pelos grupos de alunos participantes da Feira de Ciências.

O projeto foi elaborado em duas frentes paralelas. Os estudantes do 6.o e 7.o anos tiveram a oportunidade de iniciar o conhecimento cientifico, através de pesquisas e da introdução à metodologia científica. Os jovens do Ensino Médio criaram projetos inovadores, e tentaram, através das ciências e tecnologia, buscar soluções para os problemas levantados.

Acreditamos que todo aprendizado derivado desse processo de elaboração dos trabalhos seja um diferencial no compromisso com a preservação do meio ambiente.

 

Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa,
nunca tem medo e nunca se arrepende.

Leonardo da Vinci

 

Resumos

 

Os resumos dos projetos apresentados pelos grupos participantes do Ensino Médio da “Feira de Ciências” revelam criatividade, empenho e ilustram a maturidade científica que estes estudantes estão construindo ao longo de suas vidas acadêmicas.

  • Energia Geotérmica

Este trabalho tem como objetivos principais: estudar todos os aspectos que envolvem a Energia Geotérmica – que consiste em transformar o calor térmico da água subterrânea em energia elétrica; estudar o funcionamento de uma usina geotérmica, especialmente suas vantagens e desvantagens e seu impacto sobre o meio ambiente; tentar reproduzir em laboratório a geração de energia elétrica a partir de vapor de água e apresentar este assunto da forma mais didática possível ao público.

  • Uso Racional e Eficiente da Água

Estima-se que na Terra haja cerca de 1,35 milhões de quilômetros cúbicos de água, no entanto, apenas 0,007% dessa água é doce e de fácil acesso para o consumo humano. Como a água está presente em quase todas atividades humanas, como agricultura, indústria, comércio, assim como na nossa vida pessoal e doméstica essa quantia não é suficiente para atender às necessidades humanas, especialmente  devido ao crescimento demográfico.

Este projeto tem o objetivo de mostrar como utilizar água de forma racional. Para isto, foi medida a vazão de água em torneiras com e sem equipamentos inteligentes, isto é, as torneiras que contêm  arejadores e restritores de água.

Além disso, o projeto procura demonstrar o uso eficiente da água, através de um aparelho que emite ondas sonoras com frequência superior a 20 mil Hz. As ondas sonoras com essa frequência são chamadas ultrassom. O encontro dessas ondas com um material dá origem ao fenômeno chamado cavitação, responsável pela limpeza de objetos, como joias, lentes, relógios, instrumentos odontológicos e cirúrgicos, peças industriais e equipamentos eletrônicos.

  • O mundo invisível: desinfecção da água

Há locais no mundo que não dispõem de água geograficamente, e há outros que dispõem, mas não financeiramente da água para consumo. Dessa forma, em tais lugares, por exemplo, os países pobres, o governo não pode financiar tratamento e distribuição de água de qualidade de forma igualitária entre a população e, por este motivo, a muitas pessoas resta apenas consumir água sem tratamento, por isso, geralmente contaminada. Como consequência, há infecções graves, principalmente em crianças, por doenças como a colite hemorrágica, causada pela bactéria Escherichia coli. Em nosso trabalho, pesquisamos métodos de baixo custo para realizar a desinfecção da água, o que poderia ajudar essas comunidades carentes a terem pelo menos condições mínimas de saneamento básico.

Experimentamos três técnicas de desinfecção da água, a fim de verificar a eficácia de cada uma: a fervura, a cloração e a técnica SODIS, que consiste na desinfecção solar da água. Isolamos a água “tratada” em um teste específico para detectar coliformes totais e o E. coli.

Durante nossa apresentação, mostraremos os resultados das três técnicas.

  • Estação de tratamento de água automatizada

 

Devido à escassez de água potável no mundo, tem-se atualmente como prioridade o desenvolvimento de técnicas e processos de tratamento que viabilizem físico-quimicamente a transformação de água de má qualidade em água apropriada para o consumo.

O objetivo deste trabalho é construir uma maquete automatizada que represente uma estação de tratamento de água, contendo todas as etapas principais: captação de água imprópria para o consumo, adição de produtos químicos, floculação (formação de flocos mais densos que a água que se sedimentam), decantação e filtração. Espera-se que, com a construção da maquete seja possível observar e compreender o processo de tratamento de água de má qualidade.

  • Cultivo Sustentável de Alimentos

 

Um dos aspectos mais relevantes do uso sustentável da água está diretamente relacionado à produção de alimentos. O cultivo tradicional de alimentos é caracterizado pelo desperdício de grandes quantidades de água e pela contaminação de lençóis freáticos, leitos de rios e lagos. Com o objetivo de diminuir os gastos, tornando o cultivo de alimentos sustentável, diversas técnicas foram desenvolvidas, entre elas, a hidroponia e a aeroponia. A aeroponia, técnica mais moderna e criada pela NASA para uso em estações espaciais, baseia-se no cultivo em um ambiente de névoa rica em nutrientes e livre de solo e meios agregados. O objetivo deste projeto é verificar o quão viável e sustentável é a técnica de aeroponia. Para isso, criou-se uma estrutura constituída por uma caixa, uma tampa de madeira com seis receptáculos para conter os vasos que abrigariam amostras de feijão em desenvolvimento, e um umidificador acoplado, responsável por nebulizar a solução nutritiva que alimenta as raízes do vegetal. Foram testadas e monitoradas algumas espécies vegetais em meio aeropônico e tradicional, ou seja, terra, comparando-se os resultados desde a germinação até o desenvolvimento. Com este projeto, verificou-se que o cultivo aeropônico é viável, pois gasta menos água do que aquele desenvolvido em solo e que os vegetais que crescem por aeroponia apresentam-se mais verdes e com raízes mais longas e desenvolvidas, além de mais limpas, do que os vegetais que são tradicionalmente cultivados. Assim, confirmou-se a viabilidade e a sustentabilidade do cultivo aeropônico.

  • Ciclones e as Construções seguras

 

O objetivo deste projeto é explicar de forma sucinta a formação e o funcionamento dos diferentes tipos de ciclones. Para demonstrar o funcionamento de um tornado, um dos tipos de ciclones, realizamos simulações utilizando um béquer contendo água em um misturador utilizado no Laboratório de Química. Além disto, foi construída uma maquete que reproduz o edifício Taipei 101, uma das construções mais seguras em relação à resistência à força destruidora de furacões. Para isso, foram utilizadas caixas de comida chinesa revestidas de jornal e cola. Além da semelhança estrutural do edifício, utilizou-se massa de biscuit para reproduzir o amortecedor central que garante ao Taipei 101 estabilidade em caso de ocorrência de fortes ventos.

Acreditamos que essas demonstrações podem oferecer ao público da Feira de Ciências uma explicação de fácil compreensão da formação de diferentes tipos de ciclones.

  • Água no Corpo Humano

 

O objetivo principal deste trabalho é o de analisar por meio de pesquisas científicas e de experimentos de laboratório a relação existente entre a água e o corpo humano, além de estudar algumas funções desse líquido nos principais órgãos. A partir dos resultados obtidos, tentou-se desvendar alguns mitos e sugerir respostas adequadas às perguntas mais frequentes relacionadas a esse tema. Um exemplo de mito desvendado pelo grupo foi o de que o isotônico industrializado não é o líquido que hidrata mais, como muitos acreditam. Na verdade, pela concentração de íons livres, pôde-se observar que a água de coco é a bebida que mais repõe os sais minerais perdidos durante um exercício físico.

  • Correntes Marítimas como Fonte de Energia

Um dos principais desafios do homem na atualidade é conseguir conciliar a geração de energia elétrica com métodos eficientes, baratos e principalmente que não provoquem danos ao meio ambiente.

A energia proveniente dos oceanos, apesar de atender a tais necessidades, não é muito explorada por motivos tecnológicos ou políticos, entretanto muitos países litorâneos e desenvolvidos que não têm rios volumosos ou combustíveis fósseis já estão usando o mar como fonte de energia.

Este projeto tem como objetivo mostrar o funcionamento das usinas que geram energia elétrica por meio de correntes marítimas e demonstrar que é possível conciliar evolução tecnológica e produção de energia sem prejudicar o meio ambiente. Para isso, foi construída uma maquete baseada nessas usinas, como as já existentes na Irlanda do Norte, que usam a grande massa de água dos oceanos e a velocidade das correntes marítimas para colocar em funcionamento uma turbina acoplada ao gerador de energia, abrangendo assim a parte que envolve desde o movimento dessas correntes até sua distribuição.

  • Rins: funções, importância, doenças e tratamentos

O objetivo deste projeto é pesquisar o funcionamento renal e os problemas que causam a Insuficiência Renal Crônica e Aguda, assim como os tratamentos para essa doença, conhecidos como Terapias Renais Substitutivas (TRS). As terapias consistem em diálise peritoneal, hemodiálise e transplante. Para estudarmos os princípios e a eficácia da diálise peritoneal, suas vantagens e desvantagens, elaboramos um experimento simples empregando um tubo de diálise feito de uma membrana semipermeável, a qual permite, por meio de osmose e difusão, que o excesso de água e de sal seja removido, sem que se percam as proteínas. Deste modo podemos simular a filtração renal, objetivo das TRS.

  • Usina de Ondas

O crescimento das cidades litorâneas tem como consequência direta o aumento de demanda por energia elétrica. A obtenção desta energia adicional pela forma tradicional, ou seja, por meio de grandes usinas, sejam elas hidrelétricas ou termoelétricas, causa forte  impacto ambiental assim como provoca problemas usuais relacionados à transmissão de energia elétrica em longas distâncias: como a vulnerabilidade do sistema ocasionado por intempéries; como o custo excessivo com manutenções e a pedra de energia elétrica pela resistência apresentada nos cabos. Este trabalho pretende mostrar que a construção de pequenas usinas locais baseadas na geração de energia elétrica a partir das ondas do mar produziria a energia elétrica adicional necessária, sem os danos causados pelas grandes usinas. A viabilidade econômica dessa proposta é referendada pelo relatório “Future marine energy”*.

* Relatório da empresa Carbon Trust (Reino Unido) “Future marine energy”, de janeiro de 2006.

  • Obtenção de água potável a partir de água do mar

 

Este trabalho tem o objetivo de testar a técnica de osmose reversa. Para isto, é necessário cumprir três etapas: coleta da água salgada, extração de resíduos e realização da osmose reversa. Na primeira etapa, recolhe-se a água do mar, que é armazenada num reservatório. Em seguida, é realizada a cloração, processo no qual o cloro é adicionado à água para a remoção de seus resíduos, e, logo após, retira-se o cloro para não danificar a membrana semipermeável, composta de material nanoporoso, a qual se encontra numa máquina própria para realização de tal objetivo. Por último, é aplicada uma determinada pressão mecânica que provoca a passagem da água salina através da membrana semipermeável, o que possibilita a obtenção da água potável.

  • Processos Oxidativos Avançados (POA) no Tratamento de Efluentes Contaminados com Corantes

Os efluentes industriais nem sempre podem ser tratados por meio de métodos biológicos tradicionais. Para resolver tal problema, diversos métodos químicos foram desenvolvidos, como os Processos Oxidativos Avançados (POA), objetivo do nosso estudo. Esses métodos baseiam-se na geração de radicais hidroxilas (OH. ), os quais, por serem altamente reativos, são capazes de degradar as complexas moléculas dos corantes em substâncias mais simples e menos prejudiciais ao meio ambiente. Nosso trabalho envolveu o estudo de três sistemas de POA: reação de Fenton (Fe2+/H2O2), Foto-Fenton (Fe2+/H2O2/UV) e H2O2-UV, sendo que o sistema Foto-Fenton mostrou-se o mais eficiente, porque levou a maior percentual de degradação da matéria orgânica.

Projetos do 6.o ano do Ensino Fundamental

 

1. As incríveis moléculas da água

2. Do rio à nossa casa

3. O aquecimento global e a mudança do clima marinho

4. Manguezais

5. O Sal fazendo a fusão do gelo acelerar

6. Reaproveitamento da água da chuva

 

Projetos do 7.o ano do Ensino Fundamental

7. Reutilização da água

8. Evaporação da água do mar

9. Os mistérios da eletricidade: condução de energia na água com e sem sal

10. Armazenamento e reutilização da água da chuva.

11. Reutilização da água da Chuva.

12. Flutuação do gelo na água salgada.

13. Fontes alternativas de obtenção de água.

Projeto

Diretor de Tecnologia: Sérgio Américo Boggio.

Coordenadora de Ciências e laboratório de Biologia: Cristiana Assumpção

Coordenador de Química: José Ricardo Lemes de Almeida

Coordenadora de laboratório de Física: Marly Machado Campos

Professora de laboratório de Química: Denise Curi

Professora de Química: Elizabeth Pontes

Professor de Matemática: Fábio Cáceres:

Professor de laboratório de Química:  Fábio Siqueira

Professor de Física: Flávio Campos

Professor de laboratório de Química: Lilian Siqueira

Professor de Ciências: Maria Lúcia Gukovas

Professor de Ciências: Marina Ferreira Schwarz

Professor de Ciências, Física e laboratório de Física: Marta Rabello

Professor de Física: Nelson Rabello

Professora de Matemática: Simone Tanaka

Professor de Ciências: Sonia Fonseca

Estagiária da Feira de Ciências do Ensino Fundamental: Hellen Avigo

Estagiária da Feira de Ciências do Ensino Médio: Isabela Padovani

 

 

 

Consultoria Científica

 

Coordenadora de laboratório de Química – Colégio Bandeirantes: Elisabete Rosa

Coordenadora de laboratório de Física – Colégio Bandeirantes: Heinz Hilermann

Coordenadora de laboratório de Biologia – Colégio Bandeirantes: Juvenal Schalch

Engenheiro Poli USP: Miguel Gukovas

Engenheiro Poli USP: Paulo Romero

Instituto de Química USP: Roberval Stefani

Engenharia Poli USP: Roseli Lopes

Jornalista Científico: Salvador Nogueira

Instituto de Química USP: Wanda Oliveira

Denis D. Tomás

Montagem

 

Gerente de Manutenção: Anatoli Anatolievich Lafaeff.

Equipe:

Edvaldo Aparecido Nogueira

José Benedito Antonio

Manoel da Cruz Lopes Bezerra

Mauricio Araujo

Nelson Fernando Avelino

Osvaldo dos Santos Moioli

Roberto Jum Kubota

Valdeci Batista dos Santos

Gerente de Automação: Marcos Di Bernardo

Equipe:

Adriano Batista Morais

Ivanildo da Silva Luna

Márcio Franco

Laércio Martins de Lima

 

Agradecimentos

 

Diretor Presidente: Mauro de Salles Aguiar.

Diretor de Tecnologia: Sérgio Américo Boggio.

Diretor Pedagógico: Pedro Fregoneze.

Departamento de Sistemas: Alexandre Cury, Fábio Massaru Gondo e

Paulo Ney Ferreira Vieira.

Gerente Administrativo: Gerson Thomazetti.

Gerente de Automação: Marcos Di Bernardo.

Departamento Cultural: Emerson Bento Pereira, Ricardo Aparecido P. Cayres A. Camargo, José Ricardo Birrer Filho e Vanessa Roberta Crepaldi.

Aquamare – Dr. Annibale Longhi

Hospital Samaritano – Equípe de Hemodiálise – Dr. Eudardo Alves Garcia

Gambro do Brasil Ltda. – Denise Barreto

Instituto de Química – USP – Prof. Dr. Renato Sanches Freire

Jornalista Científico –  Salvador Nogueira

Centro de Treinamento Deca| Hydra – Eng. Felipe Fiaschi

SABESP –  Ronaldo Gonçalvez

Agradecimento Institucional

 

Fundação CEU

Peraltas

Engenharia Química – Poli – USP

Instituto de Física USP

Instituto de Química USP

HIDROGOOD Horticultura moderna

3M Microbiologia – 3M do Brasil Ltda.

Gambro do Brasil Ltda

Grupo de Pesquisa em Química Verde e Ambiental (GPQVA) – Instituto de Química – USP

Parceiros da Natureza

Compartilhe:

Biotecnologia vem para o laboratório dos 3os anos do Ensino Médio

Os professores de laboratório de biologia de 3o ano do Ensino Médio, Prof. Lúcia, Régis e Cristiana, junto com as professoras responsáveis pelo Projeto Biotecnologia, Profas. Ana Cristina e Marina, e os funcionários responsáveis pelo preparo das aulas, Bernardo e Milton, fizeram na sexta feira, dia 16 de abril, uma  oficina sobre técnicas de biotecnologia que podem ser adaptadas a uma aula de 50 minutos. Desde que o Projeto Biotecnologia começou em 1998, tem sido um sonho antigo conseguir trazer um pouco do que acontece para os poucos alunos que participam do projeto para os demais alunos, dentro da sala de aula, de forma curricular.

Professoras Ana Cristina e Marina extraindo DNA.

Professoras Ana Cristina e Marina extraindo DNA.

Dra. Karin e Prof. Régis preparando material para extração de DNA de morango.

Dra. Karin e Prof. Régis preparando material para extração de DNA de morango.

Prontos para começar: Milton, Bernardo e Profa. Lúcia a postos.

Prontos para começar: Milton, Bernardo e Profa. Lúcia a postos.

A oficina foi ministrada por parceiros pesquisadores da USP , Dra. Karin Hoch Fehlauer Ale e Dr. Ezequiel Ale, doutores que trabalham com biotecnologia no seu cotidiano, ao realizar suas pesquisas em diversas áreas. Trouxeram ideias de  como ensinar diferentes tópicos mais complicados, dando dicas de como contextualizar as descobertas e como valorizar o que é  “fazer ciência”.

A ciência do nosso cotidiano.

A ciência do nosso cotidiano.

Dr. Ezequiel Ale: pronto para começar a aula.

Dr. Ezequiel Ale: pronto para começar a aula.

Dra. Karin e Laura preparando material.

Dra. Karin e Laura preparando material.

A oficina terá uma segunda parte, onde outras práticas serão ensaiadas para serem aplicadas aos alunos. Em 2010 serão incorporadas 3 aulas, que incluem eletroforese, extração de DNA e técnicas de biotecnologia.

O laboratório de biologia já adquiriu material  como micropipetas, cubas de eletroforese, ponteiras e mini-centrífugas, entre outros, para os alunos terem acesso a um laboratório completo de biologia molecular, tendo assim contato com as técnicas mais modernas de pesquisa, em uma das áreas que hoje mais cresce na ciência.

Equipamento necessário para a aula.

Equipamento necessário para a aula.

A mesa do professor.

A mesa do professor.

A técnica da USP, Laura, demonstrando como fazer a medida.

A técnica da USP, Laura, demonstrando como fazer a medida.

Profa. Lúcia e Bernardo preparando a extração de DNA.

Profa. Lúcia e Bernardo preparando a extração de DNA.

Milton medindo o material.

Milton medindo o material.

Colocando o material no banho-maria.

Colocando o material no banho-maria.

Compartilhe: