Energia pelas correntes marítimas

Por Barbara Rezende e Caio Dib

As correntes marítimas usadas pelas tartarugas do filme “Procurando Nemo” agora também são fonte de obtenção de energia. A empresa Sea Generation desenvolveu uma pequena usina que capta a energia cinética das correntes marítimas da costa da Irlanda e a transforma em energia elétrica.

A hélice se move com as correntes marítimas e faz o motor transformar energia cinética em energia elétrica.

O grupo do 2° ano, insipirado neste projeto, optou por apresentar uma forma alternativa de obter energia. Como os meios de obtenção de energia atualmente geralmente são poluentes e exigem altos investimentos de implementação e manutenção, o custo final do kW/h é alto. Porém, os alunos apresentam um projeto com custo de manutenção baixo, pois a energia advém da força de corrente marítima. “A energia tem custo zero”, conta o aluno Ales Kouthy.

Protóptico produzidos pelos alunos. 01XBRONCA é o nome do grupo, que resolveu homenagear seus colaboradores, Ghassan Maalouf (01X, devido à sua linguagem matemática), e Gotthifrid Koutry (bronca, devido à sua rigidez).

Além disso, a usina não prejudica o meio ambiente, como acontece com as hidrelétricas.  “Como a hélice se movimenta a uma velocidade de 0,4 m/s, a vida marinha não é afetada”, completa Kouthy.
O projeto original custou US$ 680 mi, mas o custo de manutenção é baixo.

Compartilhe: