Reflexão e aprendizado em visita ao Eataly e Edifício Malzoni

Os alunos do 7.o ano do Ensino Fundamental puderam refletir sobre consumo e a produção de alimentos em visita ao mercado e restaurante Eataly, e ao Edifício Pátio Victor Malzoni. Eles foram acompanhados por Catarine Nunes, do Departamento Cultural, e pelas professoras de Ciências Lívia Dorice, Jéssica Dias, Carolina Oreb e Mariana Lorenzin.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.27.39 (1)

Na primeira parte da visita, os alunos foram ao Eataly para aprender mais sobre a produção de alimentos. Lá, os alunos conheceram a padaria que abastece o mercado e os restaurantes, onde puderam produzir seus próprios pães e também aprender, na prática, o funcionamento de processos,] como o da fermentação, que já haviam sido estudados na escola.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.27.48

“É muito bom para o aluno poder acompanhar como alguns dos conteúdos da sala de aula se aplicam no dia-a- dia”, disse a Professora Lívia Dorice.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.28.16

Depois o grupo seguiu para o Edifício Pátio Victor Malzoni que, por adotar uma filosofia sustentável, possui um espaço destinado a reciclagem, compostagem e tratamento de água.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.28.05

Assim, os alunos tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o que ocorre com os alimentos que vão para o lixo. “Houve uma reflexão sobre a forma como consumimos, o que ocorre com o que descartamos e como podemos reutilizar algo que parecia inútil”, explicou Lívia.

WhatsApp Image 2017-06-05 at 09.28.21

“Achei muito legal a visita porque, no Eataly, vi vários produtos que não sabia nem que existiam e aprendemos sobre a fermentação. Vai ajudar bastante na hora de estudar pra prova e para a vida”, disse o aluno do 7.o ano Matteo Moreira.

Compartilhe:

Vencedores da Feira de Ciências vivem experiências diferenciadas

A partir dos resultados da 10.a edição da Feira de Ciências e Tecnologia, os alunos vencedores do Ensino Médio foram convidados a passar um dia na agência África e aproveitaram um jantar no restaurante Benihana, típico de cozinha japonesa.

IMG_5190

A Africa foi fundada em 2002 com a proposta de servir poucos clientes, por meio de grupos específicos e atuação direta dos sócios em todo o processo de criação de conteúdo propagandístico – o principal deles é o premiado publicitário Nizan Guanaes.

A apresentação foi realizada pelo Diretor Geral da Africa Zero (uma dos segmentos da agência), Claudio Kalim.

Além disso, a partir de uma parceria do Departamento Cultural com o restaurante Benihana e, a partir desta sociedade, os vencedores e professores responsáveis foram convidados para um jantar de celebração.

“Orgulhosamente anunciamos que a parceria com o Benihana vai continuar este ano. Uma vez por mês, uma família de aluno e outra de professor terão a oportunidade de experimentar a excelente culinária japonesa servida lá”, anunciou o Coordenador do Departamento Cultural, Marketing e Relações Institucionais, Ricardo Aguirre.

Compartilhe:

Alunos manuseiam animais e aprendem sobre preservação

Com o objetivo de conscientizar os alunos da importância de preservar todas as espécies de animais e proporcionar uma experiência única através do manuseio de animais silvestres, o Bandeirantes ofereceu aos alunos do 7o ano o projeto Herpetus.img_1086

O curso ministrado pelos biólogos Sandra Sakamoto e Thiago Angeli contou com a presença de cerca de 150 alunos, muitos acompanhados de seus pais. “ Na minha concepção, o mais importante desta vivência prática é o contato dos estudantes com a vasta biodiversidade do reino animal. ”, comentou a professora de Ciências, Carolina Oreb.

img_1135

“Os discentes se entusiasmaram muito com a possibilidade de, durante este fechamento, manejar animais nunca antes vistos, como a coruja. As perguntas feitas por eles foram extremamente interessantes e enriqueceram muito o desenrolar do curso. ”, pontuou Lívia Dorice, educadora do 7o ano.

img_1253

“O Herpetus foi uma oportunidade de os alunos deixarem o medo de lado e, consequentemente, começarem a confiar mais em si. Além disso, com certeza aprenderam a respeitar mais os animais silvestres e aprenderam muito sobre a importância destes animais nos ecossistemas. ”, finalizou a professora Maria Lúcia Gukovas.

Confira a galeria de imagens clicando aqui.

Compartilhe:

Conhecimento, técnica e solidariedade para salvar vidas

 

 

img_1525

Como parte da proposta da disciplina de Ciências, os alunos dos 8os anos e CP1 participaram, com a consultoria da equipe da empresa Dynsei, de um treinamento de Primeiros Socorros, a fim de aprenderem os cuidados imediatos, em situações de emergência, que devem ser realizados a pessoas feridas.

Esse trabalho é desenvolvido levando-se em conta o elevado número de mortes e as sequelas que ocorrem devido à falta de atendimento pré-hospitalar adequado, com a finalidade de preservar a vida, promover a recuperação da vítima ou evitar que o caso piore.

img_3905

 

img_3926

img_3313

Durante o curso, que incluiu aula expositiva dialogada, análise de casos, simulações de acidentes e de prestação de socorros, além da prática da Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) e do uso do Desfibrilador Externo Automático (DEA) em caso de parada cardíaca, os alunos aprenderam procedimentos importantes e imediatos que devem ser realizados quando uma pessoa tem risco de morte, a fim de manter suas funções vitais e reduzir os agravos de um acidente até que a vítima possa receber atendimento de emergência adequado.

Quando corretamente executados, procedimentos simples são capazes de salvar vidas!!!!!

img_3448

img_3451

img_1543

Para os professores dos 8os. anos Lúcia, Lívia, Mariana, Meire e Waldir o treinamento de Primeiros Socorros, além de finalizar o curso de Ciências dessa série aplicando os conceitos discutidos durante o ano todo, ainda permite trabalhar com valores importantes, como a solidariedade e a empatia.

“Nunca se sabe quando poderemos precisar. Mesmo achando que não teremos coragem ou habilidade para aplicar as técnicas de Primeiros Socorros não devemos deixar de aprendê-las. Muitas vezes, espírito de solidariedade, apenas, não basta. É preciso que nós utilizemos as técnicas que nos permitem prestar um socorro rápido, preciso e eficiente, auxiliando pessoas que encontram-se, naquele momento totalmente dependentes do auxílio de terceiros”, explica a profa. Lúcia.

Os alunos aprovados no curso recebem a carteira de Socorrista Mirim, certificada pela American Heart Association, com validade de 02 anos, e todos nós podemos contar com mais uma equipe jovem a favor da vida!!!!

img_3447

Compartilhe:

Experiência de aprendizado e diversão no iFly

Cerca de cento e quarenta alunos do sexto ano usufruíram de uma manhã repleta de aprendizado no iFly, um simulador de paraquedismo indoor. Tanto as professoras Mariana Lorenzin, Carolina Oreb e Jéssica Morais, quanto os estagiários, Gabriel Borgheti, Henrique Andrade e Lívia Dorice, se fizeram presentes na ocasião.

img_0974

“Durante todo quarto bimestre, os alunos estudaram as propriedades do ar. Eles se entusiasmaram muito com a possibilidade de colocar em prática, de uma forma extremamente lúdica, os conceitos abordados ”, comentou a professora, Mariana Lorenzin.

img_0306

ifly002Antes de vivenciarem a experiência de voar, todos os presentes foram introduzidos aos mecanismos de funcionamento do túnel que era utilizado para o voo. Além disso, ainda na parte introdutória da visita, relembraram alguns dos princípios indispensáveis para a flutuação.

Em seguida, os participantes realizaram um exercício laboratorial. A partir da montagem de um paraquedas, a atividade consistia na elaboração de hipóteses, variação de experimentos e analise de dados.

 

ifly001

Por fim, a parte prática encantou a todos. “Ambos os voos feitos foram uma aprendizagem contextualizada, pois é de extrema importância que os alunos entendam a aplicação dos conceitos estudados em sala de aula”, pontuou a professora.

ifly003

“Foi possível notar a satisfação de todos que lá estavam, pois puderam experienciar uma situação diretamente relacionada com a realidade que estão inseridos. Ademais, a visita ao iFly trouxe o tema tratado no bimestre a um entendimento mais tátil ”, finalizou Carolina Oreb.

Compartilhe:

Confira o balanço da Feira de Ciências e Tecnologia 2016

A 10.a edição da Feira de Ciências e Tecnologia do Colégio ocorreu no último dia 15 de outubro. Desde o começo do ano, cerca de 300 alunos e 20 professores prepararam trabalhos que abordaram o tema “Empreendedorismo Social: Um Mundo Novo a Construir”. Os projetos desenvolveram solidariedade e respeito, valores que são discutidos em diversas esferas do Band, além de um estímulo ao empreendedorismo social.

feira_ciencias_2016_1

Um grupo do Ensino Fundamental, por exemplo, organizou uma sessão de cinema para motivar o descarte correto do lixo na sala de aula. Já no Ensino Médio, uma equipe promoveu atividades que proporcionaram uma vivencia ao dia a dia de um cadeirante. Por isso, a Coordenadora da Feira Cristiana Mattos acredita que um grande diferencial desta edição foi que muitas iniciativas dos grupos foram compartilhadas por alunos não envolvidos diretamente com a Feira.

feira_ciencias_2016_4

Os professores orientadores do Colégio em parceria com Ademar Bueno, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Instituto Jatobás, orientaram os alunos a desenvolverem o conceito de Empreendedorismo Social e empregar este olhar nos projetos. “Ademar proporcionou uma visita dos professores à CUFA (Central Única de Favelas). Neste local, tiveram a experiência única de conhecer diversas ideias empreendedoras em comunidades brasileiras. ”, comentou o também Coordenador da Feira, Ricardo Almeida.

feira_ciencias_2016_2

No dia, os projetos do Ensino Médio foram avaliados por professores da USP, UNIFESP, Instituto Mauá de Tecnologia, IPEN e também alguns parceiros do Instituto Jatobás, Multiplan e CUFA.

feira_ciencias_2016_5

“Sem sombra de dúvidas, o trabalho dos nossos professores orientadores foi imprescindível para o desenvolvimento dos projetos. Em nome de todos os Coordenadores, agradeço o trabalho de todos eles. ”, exaltou a Coordenadora da Feira, Marly Campos.

feira_ciencias_2016_3

No Ensino Fundamental, dois avaliadores e o júri popular destacavam os trabalhos de acordo com os critérios de apresentação, pôster, organização, pesquisa, método científico, empreendedorismo, sustentabilidade, aplicabilidade, criatividade e inovação.

feira_ciencias_2016_6

A cobertura jornalística da Feira contou com a parceria do grupo do Idade Mídia, que produziu um documentário, e com a empresa UCAM, que fez transmissões ao vivo para o site

Orgulhosamente, anunciamos os vencedores da X Feira de Ciência e Tecnologia do Ensino Médio:

Relevância Social:
– Rede VIPS: Rede de Vivência e Integração do Deficiente Físico, Amigos e Familiares no Âmbito Sócio-Ambiental (Orientadora: Rosiani Telles. Integrantes: Victor Lee; João Pedro Mucciolo; Diego Chiavassa; Bruno Coelho; Lucas Padiol; Rafael Mano Sanches)

– O uso da Realidade Virtual como instrumento de interação social entre idosos institucionalizados (Orientadora: Gabriela de Paula. Integrantes: Amanda Dall’Alba; Pedro Soares de Souza; Caroline Arkalji; Julio Alvarez)

Caráter Empreendedor:
– Letras por letras: site de trocas de livros baseado em interesse mútuo (Orientador: Renato Pacheco. Integrantes: Manoela Ribeiro; Veronica Dufrayer; André Hatushikano; Livia Nageishi; Juliana Suyama; Marina Roschel; Ingrid Noda; Sérgio André)

– vSAL: Sistema de auxílio lúdico para medida de acuidade visual (Orientadora: Beth Pontes. Integrantes: Emerson Morita; Amon Nishikuni; André Hatushikano; Nicolas Ruzon Birrer; Wagner Santos)

– F.C.T. – Financiando e Capacitando Trabalhadores (Orientador: Gabriel Steinicke. Integrantes: Giuliano Tissot; Lucca Novais; Felipe Nakamura; Bruno Bregola; Mohamad Hussein; Orientador: Gabriel Steinicke)

Melhor trabalho acadêmico:
– Aplicação da “Fun Theory” para coleta de bitucas de cigarro e estudo do seu processo de reciclagem (Orientador: Franco Ramunno. Integrantes: Victor Daoud; Diego Zancaneli; Ana Haddad; David Wasserman; João Andrade; Isabella Nascimento)

Ganhador no Júri Popular:
– Uso de ferramenta “Open Source” como acessório facilitador na locomoção dos deficientes visuais (Orientadora: Carolina Oreb. Integrantes: João Shida; Gustavo Sales; André Kim; Gabriel Paganini; Reynaldo Neto; Mauro Simas; André Ferreira)

Confira a galeria de imagens clicando aqui.

Compartilhe:

10.a edição da Feira de Ciências e Tecnologia acontece no dia 15

Mais uma edição da tradicional Feira de Ciência e Tecnologia acontecerá no sábado, dia 15 de outubro, das 13h às 17h, no ginásio do Colégio. O tema abordado pelos trabalhos dos alunos será o “Empreendedorismo Social – Um mundo novo a construir”.

feira_de_ciencias_2016Quarenta e um grupos apresentarão as mais diversas soluções encontradas para problemas sociais propostos. A partir das apresentações, as votações do júri popular e científico definirão o vencedor da Feira.

Os alunos do Open City e Idade Mídia atuarão como repórteres do evento realizando um documentário, entradas ao vivo para o site do Band e atualizarão o Blog da Feira de Ciências.

Confira onde cada trabalho se apresentará clicando aqui.

Venha conhecer mais de Empreendedorismo Social e prestigiar os alunos!

Compartilhe:

Empreendedorismo Social: Projeto de Feira de Ciências busca propostas para a saúde pública

“Buscando soluções para a saúde pública na cidade de São Paulo” é um trabalho criado por algumas alunas do 7º e do 8º do Colégio Bandeirantes como projeto da Feira de Ciências de 2016.

coração

O objetivo do trabalho é mapear os problemas da saúde pública em nossa cidade e buscar propostas e soluções para esta área.

Para conhecermos um pouco mais sobre essa realidade, elaboramos um questionário com algumas perguntas para pacientes, médicos e funcionários do  serviço público de saúde oferecido em São Paulo.

Assim, esperamos ter respostas que virão de pontos de vistas diferentes.

Você também pode participar!!!! Responda ao questionário e contribua com sugestões para essa área!!!

Acesse o questionário pelo QR code

Acesse o questionário pelo QR code

Com base nos resultados do questionário, pretendemos elaborar propostas, buscar propostas e contribuir com melhorias para uma saúde melhor…

Conheça mais sobre o projeto no Facebook!

https://www.facebook.com/alunasdocolegiobandeirantes

Divulgue e ajude-nos a colocar o nosso projeto em prática!!!!

Compartilhe:

Alunos são premiados na FEBRACE

As duas equipes que representaram o Bandeirantes na FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia) foram premiadas. Os projetos tiveram propostas tanto para a crise hídrica de São Paulo, quanto para o auxílio de deficientes visuais no reconhecimento de cores.

febrace14_1

Intitulado de “Estudo do concreto produzido com água de reuso de São Paulo: uma alternativa para a economia de água na construção civil”, o trabalho dos alunos Catarina Vallada, Enzo Profili e Guilherme Peres,da 3.a série, conquistou 3.o lugar na categoria Engenharia.

febrace14_2

A equipe foi orientada pelo professor de Geografia do Colégio, Pedro Coelho, e coorientada por Arthur Rupp, do Instituto Mauá de Tecnologia. O objetivo do projeto foi buscar uma solução sustentável para a crise hídrica dentro da Engenharia. A pesquisa foi realizada no ano passado para a Feira de Ciências do Band, na qual eles foram os 1.os colocados pelo júri técnico.

Para Guilherme, a interdisciplinaridade entre Ciências e Geografia- pela contextualização com a crise hídrica- e o caráter inovador da pesquisa foram fatores fundamentais para conquistar o lugar de destaque. “Acho que o fato de ter tido um alto embasamento científico foi essencial. Todos os nossos resultados foram justificados pelas nossas pesquisas, que seguiram uma rigorosa metodologia”, completou Enzo.

Já o projeto dos alunos Lucas Liberman, Pedro Takahaski e Rodrigo Koozo, orientado pelo professor de Física, Renato Villar e coorientado por Carlos Rafael Gimenes, da BandTec, ganhou o prêmio de Inovação em Acessibilidade e Inclusão da Pessoa com Deficiência.

A pesquisa realizada por eles foi intitulada de “Cromatoscopiofone: protótipo em Arduino para identificação de cores para deficiências visuais” e tinha como propósito auxiliar deficientes visuais no reconhecimento de cores através da emissão de sons a partir de cada espectro de cor.

Compartilhe:

Professores visitam Paraisópolis

O Colégio Bandeirantes, no ano de 2016, escolheu como tema para a sua tradicional Feira de Ciências o “Empreendedorismo Social”. Apesar do intenso crescimento no Brasil e no mundo -e de todas as oportunidades que gera quando a necessidade social é aliada ao investimento privado- a área ainda está em constante descobrimento conceitual.

1

Por isso, para embasar tecnicamente professores, orientadores e alunos, o Instituto Jatobás e o Instituto Sinapse de Educação pela Cidadania abraçaram a causa e estarão, durante todo o ano, desenvolvendo atividades e cooperando com a construção dos 11 projetos que serão apresentados na Feira em outubro.

2

Para começar o trabalho, os professores receberam material teórico elaborado pelo Prof. Ademar Bueno sobre o tema. Porém, como não se pode compreender problemas e necessidades sociais sem vivenciá-los, todos foram convidados a visitar Paraisópolis, comunidade na zona sul de São Paulo, circundada pelo bairro do Morumbi.

3

Recebidos por Claudia Raphael, representante da CUFA (Central Única das Favelas), o grupo circulou por entre ruas e becos para observar e ter contato com a realidade das cem mil pessoas que lá habitam. Questionados sobre quais as características que mais chamaram a atenção na visita -que aconteceu no fim da tarde quando os trabalhadores voltavam para suas casas -os professores relataram que sentiram forte o senso de pertencimento, comunidade e também de empreendedorismo, o que Claudia brinca de chamar de “Sevirologia”. Além disso, chamou a atenção dos educadores a pequena quantidade de escolas para atender à população.

5

Após a visita, na sede da CUFA, o Prof. Ademar Bueno provocou um pequeno debate sobre o papel dos três setores no Brasil e as oportunidades que estão surgindo na área de empreendedorismo social.

4

Para o professor Ricardo Almeida, Coordenador do projeto junto ao Instituto Jatobás, “o Bandeirantes está na vanguarda no que diz respeito ao envolvimento de professores e alunos com causas e problemas sociais, justificando cada vez mais o posto de um dos melhores Colégios do Brasil”.

Compartilhe: